Os Jogos Sérios são mesmo jogos?

Os Jogos Sérios são mesmo jogos?

Os seguintes tópicos serão abordados nesta descodificação dos Jogos Sérios como forma de comunicação e formação:

Ao longo dos últimos anos, um novo termo ganhou popularidade e é agora um lugar comum no coração das alternativas educativas: os Jogos Sérios! Estes jogos educativos estão a tornar-se cada vez mais predominantes no mundo da educação e formação. Mas será que sabemos o que é um Jogo Sério? Poderá um jogo server outro propósito que não o do entretenimento? Poderá ser concebido com outra prioridade que não o puro prazer recreativo? Vamos tentar responder a algumas destas questões por si.

Qual é a definição de um Jogo Sério?

Antes de continuarmos, devemos perguntar-nos: o que é um Jogo Sério? Julian Alvarez define os Jogos Sérios como “uma aplicação informática em que o objetivo é combinar aspetos sérios, como o ensino, a aprendizagem, a comunicação ou a informação, de forma não exaustiva, com a energia divertida de um vídeojogo.” Então, trata-se de um jogo informático cujo principal objetivo não é a diversão pura, pois visa também estimular a aprendizagem. Claro que Alvarez não é o único a propor uma definição para o termo. Outros, por exemplo, definem um Jogo Sério como uma atividade divertida que não precisa de ter um formato digital.

A definição de jogo de Caillois

No entanto, Roger Caillois desenvolveu uma definição que se opõe à definição que Alvarez estabeleceu. Tendo trabalhado exaustivamente na questão dos jogos, o sociólogo define a atividade como:

De acordo com a definição de Caillois, os Jogos Sérios não podem ser considerados jogos pois não são improdutivos (o seu principal objetivo é estimular a aprendizagem, sendo a diversão um propósito secundário). Muitas vezes, o formador que proporciona os Jogos Sérios entrega o jogo aos seus formandos como uma tarefa e, nesse sentido, também poderemos dizer que o elemento da ‘liberdade’ de Caillois não pode ser aplicado aos Jogos Sérios. Então, porque é que usamos o termo ‘jogo’?

Um jogo pode ser um jogo se o seu principal objetivo for educativo, em vez de ser improdutivo?

Podemos então questionar a validade do termo ‘jogo’ quando se fala de uma atividade não concebida para efeitos de entretenimento. É possível que o termo não seja o mais prudente no sentido tradicional da palavra. Na verdade, não se trata tanto de jogar, mas antes de usar os mecanismos divertidos de um jogo para servir um propósito educativo. Jess Schell, por exemplo, fala sobre a gamificação da aprendizagem. A questão de os Jogos Sérios se qualificarem como ‘jogos reais’ apenas surge se assumirmos como referência as definições de Caillois e outros autores que consideram os jogos como improdutivos. Contudo, para muitos autores, trazer uma dimensão divertida para os conteúdos educativos é suficiente para que a atividade seja considerada um jogo.

O que capta o interesse dos utilizadores nos jogos educativos e conteúdos digitais interativos?

Apesar das questões que o termo ‘Jogos Sérios’ possam colocar, a gamificação da aprendizagem continua a desenvolver-se. O facto é que usar mecanismos de jogo no contexto da educação e formação oferece numerosas vantagens. Em 2016, Djaouti destacou os usos de uma abordagem lúdica da aprendizagem.

A principal vantagem que se pode encontrar no uso de Jogos Sérios na formação é o impacto global positivo sobre a motivação dos alunos. Vários estudos sobre a utilização de jogos educativos a longo prazo demonstram que os Jogos Sérios podem gerar um aumento notável na motivação dos alunos (cf: Malone, 1981 ; Wastiau et al., 2009).

Adicionalmente, os Jogos Sérios podem também oferecer aos formandos acesso a um mundo de experimentação no qual são convidados a testar a sua capacidade de pensar e refletir. Uma grande maioria dos Jogos Sérios baseia-se num estilo de aprendizagem por tentativa e erro: o aluno constrói mentalmente uma “hipótese” que irá testar no jogo. O jogo irá provar ou refutar a hipótese e encorajar o jogador a rever a sua abordagem até encontrar uma solução que lhe permita ter êxito. Portanto, um Jogo Sério considerado ‘bom’ oferece aos jogadores um suporte para os ajudar a formar uma hipótese apropriada de forma independente (Sanchez, 2011).

Usar jogos educativos também permite ao formador levar em consideração o leque de habilidades e disparidades existentes num grupo (Kafai, 1994). Portanto, cada aluno pode progredir ao longo do jogo ao seu próprio ritmo: um aluno que precise de várias tentativas numa secção para chegar à solução poderá começar de novo sem recear o julgamento dos seus pares. Da mesma forma, um aluno que atinge o êxito na sua primeira tentativa não se sentirá frustrado por ter de esperar que os seus colegas o acompanhem.

Por último, alguns Jogos Sérios favorecem interações educativas entre alunos, ao estilo de jogos multijogador, que facilitam a implementação de Zonas de Desenvolvimento Próximo Vygotsky, 1985).

Como criar um Jogo Sério

Embora a utilização de Jogos Sérios em formação possa proporcionar vantagens significativas, estes deverão ser bem implementados para poderem ser eficazes. Acima de tudo, todas as abordagens lúdicas deverão ser pertinentes e consistentes com o conteúdo do curso para que sejam funcionais. Não pode integrar um Jogo Sério em qualquer parte do curso, simplesmente para poder oferecer um Jogo Sério. A melhor forma de integrar Jogos Sérios relevantes de forma bem-sucedida e que dê suporte ao conteúdo do seu curso é desenvolvê-lo você mesmo. Não sabe como fazê-lo? Não há problema!

A equipa Drimify é composta por especialistas em gamificação que podem orientá-lo na criação de uma estratégia, assim como apoiá-lo ao longo do desenvolvimento e implementação do seu projeto. O Dynamic Path™ permite-lhe criar um cenário que alterna entre conteúdo educativo e experiências de jogo interativas através de aplicações divertidas para apoiar a aprendizagem como parte da formação profissional. Outra vantagem de usar a nossa plataforma é que é muito fácil de usar e é acessível a toda a gente, sem necessidade de qualquer conhecimento técnico especializado.  Terá controlo total do projeto e o trabalho de conceção é realizado de forma colaborativa.

Conclusão sobre a utilização de Jogos Sérios

Para concluir, embora o termo ‘jogos’ educativos possa ser uma escolha controversa aos olhos de alguns escritores, isso não diminui o facto de que a integração de mecanismos de jogo nas técnicas de ensino para formação e cursos educativos proporciona uma estratégia positiva e benéfica para o utilizador final. A única condição para uma integração bem-sucedida é garantir que o Jogo Sério é relevante para o conteúdo.

Bibliografia

Outras Fontes

Blog

12 razões para escolher Drimify

Personalização avançada de gráficos

Fácil integração

Conceitos de jogo populares

Experiência de jogo de qualidade

Tecnologia HTML5

Multiplataformas (móvel e PC)

Imagem de marca e associação de marcas

Multilíngue

Alojamento CDN super-rápido

Etiqueta branca

A oferta mais competitiva no mercado

Entregue em poucos minutos

Experimente a Drimify