5 dicas para integrar jogos na formação

5 dicas para integrar jogos na formação

Esta introdução ao uso de jogos na formação e no ensino irá cobrir os seguintes tópicos:

O jogo está a tornar-se cada vez mais importante nos novos métodos educativos para formação profissional. Desde há vários anos, os Jogos Sérios têm sido discutidos como ferramenta para tornar a aprendizagem mais divertida usando jogos designados para efeitos educativos. Porém, mesmo que estes Jogos Sérios tenham demonstrado ser benéficos, eles não são uma solução milagrosa e podem ser ineficazes se forem mal implementados. Aqui damos-lhe as nossas 5 melhores dicas para integrar o jogo nas suas sessões de formação de forma eficaz e apropriada.

O que são jogos educativos na formação?

Para perceber como trazer o jogo para a formação, temos de primeiro clarificar o que é realmente um Jogo Sério. Há muitas definições, mas nós gostamos de usar uma definição dada por dois criadores de videojogos em 2005 como referência: Michael e Chen definiram-nos como “Um jogo em que o principal objetivo é diferente do entretenimento puro”. De acordo com esta definição, os Jogos Sérios poderiam potencialmente ser aplicados a uma variedade de diferentes setores: educação, publicidade, saúde, comunicação, política, defesa, ajuda humanitária, religião, arte… Este artigo foca-se exclusivamente nos jogos concebidos para o setor educativo.

Segundo esta definição, um Jogo Sério não está limitado a um formato de videojogo, embora este seja o mais comum; pode manifestar-se em qualquer tipo de suporte. Embora a ideia de usar jogos se tenha mantido bastante popular ao longo do tempo, assistiu a um declínio acentuado no final dos anos 90, com a queda do agora chamado ‘edutenimento’ (Kellner, 2007). Na primeira metade dos anos 2000, uma nova tendência reanimou o conceito, sob o aspeto de ‘Jogos Sérios’, voltando o seu foco quase exclusivamente para os videojogos (Djaouti, 2014).

Porque se deve usar o jogo na formação?

Podemos ainda assim questionar como e porque é que é do nosso interesse usar Jogos Sérios durante as sessões de formação. Muitos autores escrutinaram o uso da gamificação da aprendizagem através de videojogos, visando tanto crianças como adultos. O ativo chave no uso de Jogos Sérios é a melhoria global da motivação dos alunos e o seu empenho na aprendizagem. Os inúmeros artigos e ensaios sobre o uso de jogos ao longo de um período alargado demonstram claramente que os Jogos Sérios criam um aumento significativo na motivação dos alunos (cf: Malone, 1981; Wastiau et al., 2009). A gamificação também proporciona aos alunos um espaço seguro no qual são convidados a pensar e refletir.

A maioria dos jogos educativos baseia-se num estilo de aprendizagem por tentativa e erro: o aluno constrói mentalmente uma “hipótese” que irá testar no jogo e que será depois confirmada ou rejeitada. O aluno deverá então rever a sua hipótese até encontrar uma solução adequada. Assim, um ‘bom Jogo Sério’ oferece aos alunos informações que os ajudam a chegar por si mesmos a uma hipótese apropriada (Sanchez, 2011). O uso de jogos educativos também permite ao formador levar em consideração o leque de habilidades e outras disparidades existentes num grupo (Kafai, 1994). Cada aluno tem o seu espaço no qual pode progredir ao longo do jogo ao seu próprio ritmo: um aluno que precise de várias tentativas numa secção para chegar à solução poderá começar de novo sem recear o julgamento dos seus pares. Da mesma forma, um aluno que atinge o êxito na sua primeira tentativa não se sentirá frustrado por ter de esperar que os seus colegas o acompanhem. Por último, alguns Jogos Sérios favorecem interações educativas entre alunos, ao estilo de jogos multijogador, que facilitam a implementação de Zonas de Desenvolvimento Próximo Vygotsky, 1985). Um estudo alargado das vantagens destes jogos pode ser consultado em “Jogos Sérios para a educação: usar, criar, ajudar outros a criar?” (Djaouti, 2016).

Dica nº1 – Distinguir entre jogo e formação

A nossa primeira dica para usar jogos de forma sensata é ter cuidado com a linha que separa jogo de aprendizagem. Se um jogo der demasiada prioridade à diversão e negligenciar o aspeto educativo, o jogo perderá o seu significado e os objetivos não serão atingidos. O problema contrário também é possível e muito mais comum. Não podemos partir do princípio de que a mais pequena injeção de diversão irá transformar todo o conteúdo educativo num jogo. Um Jogo Sério deverá ser divertido, envolvente, deverá estimular a vontade de vencer e captar a atenção do formando. Ao estar consciente da linha entre os aspetos divertidos e os aspetos educativos poderá atrair a atenção do jogador ao mesmo tempo que cumpre os requisitos especificados – é uma situação vantajosa para ambas as partes.

Dica nº2 – Determinar objetivos claros de aprendizagem para selecionar a ferramenta mais adequada

Um jogo não deve ser usado simplesmente para integrar técnicas de ensino modernas no seu programa. Deverá ter um lugar genuíno no curso e ser coerente com o conteúdo da aprendizagem. A equipa Drimify é especializada em gamificação e poderá orientá-lo no sentido de formar uma estratégia, assim como de selecionar soluções bem-adaptadas.

A escolha do jogo certo não deverá ser subestimada. Há vários tipos de Jogos Sérios: comportamental, construtivista… (Egenfeldt-Nielsen, 2006).

Além disso, a qualidade de todos os Jogos Sérios existentes varia dependendo das competências e/ou intenções educativas dos seus desenvolvedores. No entanto, à semelhança do que acontece com todas as outras ferramentas educativas, é difícil chegar a um julgamento conclusivo sobre a verdadeira qualidade de um Jogo Sério. Para tornar um jogo pertinente, o processo de seleção teria de ser realizado por cada professor, levando em consideração os seus alunos, objetivos de aprendizagem e métodos de trabalho. Um Jogo Sério dirige-se a uma necessidade específica num dado momento, no âmbito de um conceito específico. Assim, alguns conteúdos teóricos podem ser ensinados mais eficazmente num ambiente de sala de aula tradicional, entanto outros poderão ser mais adequados para a criação de Jogos Sérios. Apenas o professor será capaz de tomar esta decisão.

Dica nº3 – Considerar as restrições físicas e logísticas

É recomendável pensar antecipadamente nos constrangimentos logísticos que possam impedir o uso de Jogos Sérios. A verdade é que os Jogos Sérios são um investimento que acarreta um custo: a disponibilidade de computadores ou equipamentos adequados para jogar os jogos, autorização das equipas de gestão para adquirir software e equipamentos… Antecipar essas restrições irá evitar quaisquer surpresas desagradáveis.

Para simplificar a introdução da formação online, a melhor solução é oferecer aos alunos a oportunidade de concluir as suas aprendizagens diretamente nos seus smartphones, ao seu próprio ritmo. As soluções da Drimify são concebidas com uma abordagem ‘prioritariamente móvel’ e ‘reativa’ (adaptável), que é também compatível com computadores, tablets, ecrãs táteis e quiosques. Isto torna-as extremamente acessíveis e aumenta os níveis de envolvimento.

Dica nº4 – Ser adaptável às diferentes características e níveis dos jogadores

Tal como acontece com todos os tipos de formação, os Jogos Sérios devem ser adaptáveis para servir o seu público-alvo. Todos nos adaptamos às coisas de forma diferente, quer se trate de um jogo ou de aprendizagem. Algumas pessoas conseguem dominar muito rapidamente mecanismos de jogo complexos, mas isso não se aplica a toda a gente. Também aconselhamos a analisar cuidadosamente o seu grupo e observar como ele responde antecipadamente aos jogos. Se isto não for possível, o ideal será fornecer mecanismos de jogo simples que sejam acessíveis a todos.

Dica nº5 – Trabalhar com profissionais se for novo na área de criação de Jogos Sérios

O nosso último conselho é, sem dúvida, o mais importante: o professor é a chave para o sucesso de um Jogo Sério. O jogo não substitui o professor. A maioria dos estudos sobre o uso eficiente dos Jogos Sérios revela que o papel do professor é crucial para o sucesso da atividade. Por exemplo, um estudo realizado em 2007 por Habgood demonstrou que uma discussão coletiva sobre a atividade garante que os alunos tiram o máximo partido dela.

Para tornar os jogos oferecidos mais relevantes, é melhor desenvolver jogos diretamente alinhados com o seu conteúdo e trabalhar com profissionais de gamificação que o irão ajudar a lançar-se mais facilmente no conceito de gamificação. Graças à sua experiência e à diversidade de projetos que já geriu ao longo dos anos, a equipa Drimify está bem preparada para o ajudar a gerar esse valor acrescentado e uma nova dimensão no seu projeto.

Conclusão sobre jogos educativos

Estas cinco dicas deverão ajudá-lo a integrar os Jogos Sérios com sucesso no seu curso de formação. Embora possa parecer difícil no início, com a ajuda certa e uma boa abordagem, será cada vez mais fácil atingir resultados convincentes.


Bibliografia

Outras Fontes

Blog

12 razões para escolher Drimify

Personalização avançada de gráficos

Fácil integração

Conceitos de jogo populares

Experiência de jogo de qualidade

Tecnologia HTML5

Multiplataformas (móvel e PC)

Imagem de marca e associação de marcas

Multilíngue

Alojamento CDN super-rápido

Etiqueta branca

A oferta mais competitiva no mercado

Entregue em poucos minutos

Experimente a Drimify