5 dicas para integrar eficazmente a Gamificação nos Recursos Humanos

5 dicas para integrar eficazmente a Gamificação nos Recursos Humanos

A gamificação tem se tornado cada vez mais proeminente nas novas políticas de RH, mas será que sabemos mesmo o que significa? A gamificação define-se como a aplicação dos mecanismos de jogo num campo que não tenha nenhuma conexão com o jogo. No contexto das relações humanas, tem sido usada a gamificação no centro de diferentes áreas do setor: formação, recrutamento, etc.

Porque devemos introduzir jogos? E como? Estas são as nossas 5 melhores dicas de Gamificação nos Recursos Humanos:

1) Trazer a gamificação para o processo de recrutamento

Tornar o recrutamento divertido e destacar-se da concorrência é a mais recente vanguarda na área dos Recursos Humanos. Adicionar unidades de jogo a testes de RH pode ser muito útil na avaliação das capacidades dos candidatos, sobretudo das famosas competências pessoais. Adaptabilidade, capacidade de ouvir, trabalho em equipa, capacidade de resposta e iniciativa são competências que devem ser desenvolvidas para se poder jogar bem.

Diferentes problemas são muitas vezes encontrados durante o recrutamento.

Antes de mais, períodos de tempo limitados podem levar à tomada de decisões com base em critérios errados. É verdade que os constrangimentos temporais das entrevistas nem sempre permitem uma representação fiel do candidato. Finalmente, há um risco de parcialidade nos métodos atuais (adaptação dos candidatos, tendências atributivas…) que não podem garantir uma verdadeira imparcialidade durante o recrutamento.

A gamificação, contudo, oferece uma alternativa intrigante já que o recrutamento através de jogos não só omite enviesamentos psicológicos – os candidatos não ficam frente a frente com o recrutador e não estão num ambiente de trabalho – mas também aumenta a sensação de justiça organizacional para os candidatos: o processo é idêntico para toda a gente e os resultados finais baseiam-se em critérios objetivos.

O resultado do jogo (ganho ou perda) não é o fator mais importante; é mais uma observação do trajeto escolhido pelo candidato para atingir a meta que é fundamental aqui. É através da observação dos métodos e ações de um candidato que percebemos mais sobre o carácter de uma pessoa. O jogo oferece, portanto, uma avaliação objetiva do candidato e proporciona uma melhor compreensão das suas qualidades pessoais e interpessoais.

2) Integrar novos recrutamentos de forma original e agradável

Para além do processo de recrutamento, outra situação em que a gamificação funciona bem na área dos RH é durante o processo de integração. Muitas vezes negligenciadas pelas empresas, as admissões geralmente englobam a passagem de imensa informação sobre a empresa, as novas funções e uma breve apresentação dos escritórios ou instalações. Os jogos, por outro lado, criam a oportunidade de realmente envolver o candidato e interagir com ele de uma forma muito mais memorável. Optar por desenvolver uma aplicação ou Jogo Sério (um jogo educativo) pode tornar a fase inicial de um novo trabalho muito mais agradável e divertida. As possibilidades são intermináveis – o único limite é a sua imaginação! Por que não aprender mais sobre a empresa através de um percurso virtual cheio de quizzes? Quando se trata de conhecer a equipa, organizar uma caça ao tesouro pode ser muito mais apelativo. Partir numa aventura pelas instalações, explorando os locais para seguir pistas enquanto conhecem as instalações e conhecem o resto da equipa será muito mais interativo do que trocar nomes rapidamente num corredor.

3) Dar uma nova vida à formação interna

Paralelamente às vantagens e benefícios da gamificação em termos do recrutamento, as empresas muitas vezes usam os jogos como uma ferramenta poderosa para o desenvolvimento das competências dos seus colaboradores (e conclusão de um módulo de ensino à distância nesse formato).

Graças aos Jogos Empresariais em particular, os jogos de simulação empresarial são agora muito mais vistos como uma ferramenta educativa plenamente reconhecida, perfeitamente adequada para ensino experimental. Os jogos empresariais são usados sobretudo para ensinar competências e conceitos relacionados com economia e o mundo dos negócios. Geralmente, é apresentado aos participantes um ambiente empresarial muito realista. Usando esta ferramenta, o participante é encorajado a realizar a sua própria análise, adotar uma estratégia e aprender sobre o tema em questão. O uso de e-learning para ofertas formativas internas proporciona várias vantagens e os formandos apreciam também este formato porque é um estilo de formação mais flexível. O aluno tem efetivamente o poder de decidir quando, onde e como pretende aprender. Uma vez que escolhem os horários que lhes são mais adequados, a formação e-learning torna-se mais eficiente do que a formação presencial. Além disso, a formação presencial é muitas vezes mais intensa porque há muita informação transmitida num curto espaço de tempo. A formação em e-learning permite aos formandos desagregar as sessões para conseguir tirar o máximo partido da informação.

A formação em e-learning apresenta ainda a oportunidade de ministrar um grande volume de módulos de formação qualitativa. Os módulos podem combinar um leque de diferentes estilos de formação, como quizzes, vídeos, ficheiros áudio, jogos, tarefas práticas, exercícios, etc. Este tipo de formação é dinâmico e faz com que o formando se sinta energizado e envolvido. Adicionalmente, é possível incluir um elemento humano nesses módulos. Graças a vários chats, fóruns e aulas virtuais, é muito fácil interagir com os formadores ou professores. As empresas aplicam uma vasta quantidade de recursos para ministrar formação qualitativa porque há muito em jogo para elas no que diz respeito à formação.

Finalmente, o e-learning também proporciona vantagens financeiras às empresas. O investimento inicial pode parecer um grande compromisso, mas o mesmo é rapidamente recuperado e continua a ser lucrativo. Plataformas como a Drimify permitem-lhe criar os módulos de formação necessários. O e-learning pode ajudá-lo a conseguir poupanças significativas nos seus cursos de formação.

A solução de gamificação é, portanto, uma excelente forma de modernizar a sua formação e inspirar os seus colaboradores a desenvolver as suas competências. Assim, a adoção do e-learning pode motivar e unir os seus colaboradores em torno de um programa de formação online.

4) Gestão: fortalecer equipas ‘gamificando’ o tempo de trabalho

A gamificação também torna a vida quotidiana na sua empresa mais agradável. Acrescente uma componente lúdica ao tempo de trabalho designando períodos para uma ‘pausa de jogo’, criando sistemas de reunião mais agradáveis realizando-as em locais diferentes das salas dedicadas a reuniões ou até mesmo organizando dias de consolidação de equipas que não sejam caracterizados por apresentações Powerpoint. Todas estas coisas promovem o bem-estar no trabalho, quebram a rotina e unem as equipas.

5) Integrar a Gamificação com a ajuda certa

Em suma, já vimos que a gamificação é uma ferramenta muito eficaz para os recursos humanos, quer seja usada no recrutamento, na formação ou nos processos de recompensa.

Quanto à implementação destas ferramentas, recomendamos que use a plataforma Drimify. A plataforma permite-lhe criar facilmente jogos empresariais originais para os Recursos Humanos com o apoio das nossas equipas de desenvolvimento.

Outras Fontes

Blog

12 razões para escolher Drimify

Personalização avançada de gráficos

Fácil integração

Conceitos de jogo populares

Experiência de jogo de qualidade

Tecnologia HTML5

Multiplataformas (móvel e PC)

Imagem de marca e associação de marcas

Multilíngue

Alojamento CDN super-rápido

Etiqueta branca

A oferta mais competitiva no mercado

Entregue em poucos minutos

Experimente a Drimify